Purgatório

2 fev

Dia desses estava conversando com amigos a respeito de alguns mitos gregos, mais precisamente nos de Sisifo e Prometeu, até aí, quase um papo normal. A certa altura da conversa concluímos que se existe um inferno, ele deve ser o lugar da repetição, além de o mais chato do mundo, visto deste modo, não se precisa estar morto pra se ir ao inferno! Sei que o assunto parece meio tétrico, mas, é muito bom para se refletir que tipo de vida está se levando , será que fazer tudo do mesmo jeito dia após dia, numa rotina incessante faz bem a alma e ao espírito?! A resposta lógica deveria ser não! Mas, é exatamente o que se faz, não por um desejo mórbido ou coisa que o valha, muitas vezes nem nos damos conta disso e vamos apenas vivendo caminhando cada um com seu fardo, simplesmente existindo e ponto final!

A pergunta principal é como enfrentar essa situação, pois, como foi dita a alguns posts atrás “Mudar”, nem sempre é uma opção fácil, pois, dentro de nossas relações diárias vão se formando conjuntos e subconjuntos de fatores que parecem nos engessar, até mesmo nos afogar, como uma bola de aço que nos puxa para baixo impedindo-nos de nadar! È uma sensação sufocante! Essa sensação é causada pelo círculo vicioso que é construído de uma maneira bastante paradoxal, já que participamos de sua construção e ao mesmo tempo não temos controle, nem das suas ações, bem como de seus efeitos sobre a nossa vida, isto, até certo ponto. Até certo ponto porque, na verdade somos parte deste problema, contribuímos com ele, na verdade o alimentando tão eficazmente que se não tiver o cuidado certo, pode-se acabar devorado por ele! Neste ponto parece que estou falando de um objeto indeterminado, sem sentido, que nada tem a ver com o tema traçado no início do texto? Posso resumir a coisa simplesmente da seguinte forma: todos nós de uma forma ou de outra através de nossos erros e acertos acabamos em algum momento do caminho erigindo um inferno pessoal em nossas vidas pelo simples fato de repetimos ou fazemos algo que ao invés de trazer prazer ou algum tipo de satisfação, e que gera ao contrário de todas as expectativas toda sorte de dor e sofrimento, resultado destes fatores muitas vezes escapam ao nosso controle . Isso é um fato, já que temos várias obrigações invejáveis a cumprir e que tem de ser realizadas por alguém! Resultando daí toda a nossa “danação” diária.

Tudo bem! Mas, como dar a volta por cima?! Essa é uma resposta que demanda muitas páginas! Talvez um livro! Quem sabe uma biblioteca inteira sem chegar a um resultado satisfatório! A única solução que ocorre neste momento é tentar transformas o circulo vicioso em virtuoso! Da seguinte forma:

*Procure viver o hoje, mas, sem ser relapso;

*Procure realizar suas atividades ou mesmo ir ao trabalho por caminhos diferentes, se isto for possível;

*Não invente desculpas para si mesmo para não fazer certas coisas, dê uma oportunidade a si mesmo, diga sim de vez em quando;

*Procure rever as suas relações de um modo geral;

*Mande aquela turma de chatos catar coquinho, afinal, não se pode ser bom com todo mundo e ser bom consigo mesmo, muitas vezes as coisas não se conciliam;

*Procure cercar-se das pessoas de quem gosta e o estimam .

Logicamente que atingir este estado ou alterar este estado de coisas não é uma tarefa muito fácil, mas, ao fim de alguns passos você poderá ter feito uma longa jornada!


Anúncios

2 Respostas to “Purgatório”

  1. Leandro fevereiro 4, 2009 às 12:29 am #

    Já assistiu “Supernatural” (no Warner Channel)? Certa feita um demônio comentou que no inferno as pessoas têm sua humanidade sugada, dia após dia.
    Nada pode ser mais desumanizante do que a repetição. Taí a revolução industrial pra provar, não?
    E viva o Iluminismo!

    • professorhb fevereiro 13, 2009 às 1:27 am #

      O grande trunfo do diábo é as pessoas não acreditarem na sua existencia!Isso facilita em muito seu trabalho e possibilita destruir o ethos do indivíduo e torna-lo bruto e vazio!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s