O Curioso Caso de Beijamin Button

10 fev

Semana passada fui ao cinema assistir o filme: “O Curioso Caso de Benjamin Button”, a história me lembrou bastante a obra de Charles Dickens , com uma introdução à moda “David Copperfield” , com toques de “Grandes Esperanças” e “Oliver Twist” . Digo isso por que o fio condutor da história me pareceu bastante familiar , com toda aquela coisa de órfão , romance que surge na infância, a fortuna que sorri durante uma vida cheia de percalços vividos pela personagem, tudo isso envolvido num embrulho de realismo fantástico. Apesar de tudo, não desmerece em nada o filme, que é bastante interessante e poético. De fato! Vale a ida as salas de exibição, pois , tem uma coisa que tem feito muita falta , que a FANTASIA com F maiúsculo ! Falo da fantasia por que ultimamente existe uma falta disso tanto na TV quanto no cinema, digo isso por que as películas exibidas de um modo geral buscam reproduzir de uma maneira cada vez mais verossímil a “realidade” ou elementos da chamada: “vida real”, com fartura de violência, crime, dor, etc., não que eu defenda a alienação, mas, um pouco e ficção no sentido estreito do termo, também é importante! Papel que o filme cumpre de um modo muito bacana dosando de maneira bem feita a mistura entre a fantasia e realidade, coisa que tem voltado à moda desde ( aqui é o meu ponto de vista) a filmagem de “Peixe Grande” por Tim Burton , outra obra de realismo fantástico que é demais ! Portanto, se o que você deseja é relaxar e curtir uma boa sessão de cinema sem stress esse é o filme! Só não esperem sair de lá com alguma lição ou mensagem qualquer, pois, embora exista de fato uma mensagem no filme ela está tão difusa e indelével, que você acaba saindo da sala com a impressão de que ficou faltando alguma coisa, então esqueça este detalhe e apenas divirta-se , afinal é uma obra de ficção e não uma palestra !

4 Respostas to “O Curioso Caso de Beijamin Button”

  1. Lucas fevereiro 11, 2009 às 10:40 pm #

    Charles Chaplin ja tinha feito um texto o quanto seria bom a vida invertida.
    “A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deverí­amos morrer primeiro, nos livrar logo disso.

    Daí­ viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí­ você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade.

    Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando. E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito?” o filme é nesta linha de pensamento ?

    • professorhb fevereiro 12, 2009 às 2:06 am #

      Se há um orgasmo de fato neste filme, é o da vida bem vivida e no espectador (apesar de toda a semelhança com Dickens) que é a experiência do conto bem contado! E sim a história trata sim , destes aspectos que você resumiu muito bem.

  2. Leandro fevereiro 12, 2009 às 10:02 pm #

    Tim Burton? Tô nessa!

  3. Mariana Carla novembro 14, 2009 às 4:52 pm #

    Eu Mariana Carla adorei o filme sobre Benjamim Buttons. É um historia muito emocionante deixo uma meditação para todos enquanto nosso filhos nas. lindos e saudáveis por que ñ cuidar. quando acha um criança que precisa de ajuda ajude é ñ tenha preconceito de idade ou de cor cuide como se fosse seu

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s