Sobre Xenofobia

14 nov

Já dizia Gramsci que “Há fatos que amadurecem na sombra, porque poucas mãos, sem qualquer controle a vigiá-las, tecem a teia da vida coletiva, e a massa não sabe, porque não se preocupa com isso. Os destinos de uma época são manipulados de acordo com visões limitadas e com fins imediatos, de acordo com ambições e paixões pessoais de pequenos grupos ativos, e a massa dos homens não se preocupa com isso. Mas os fatos que amadureceram vêm à superfície; o tecido feito na sombra chega ao seu fim, e então parece ser a fatalidade a arrastar tudo e todos, parece que a história não é mais do que um gigantesco fenômeno natural, uma erupção, um terremoto, de que são todos vítimas, o que quis e o que não quis, quem sabia e quem não sabia, quem se mostrou ativo e quem foi indiferente.”

Um destes fatos, é a seguida onda de xenofobia que vem se alastrando pela rede , com pessoas que se pronunciam contras as minorias de um modo geral , isto, com a mesma naturalidade com que se dá bom dia, a alguém que passa.

Isto ficou evidenciado pelo resultado da campanha eleitoral que deu a vitória a candidata, e agora presidente Dilma Rousseff , que durante sua campanha teve de enfrentar grande resistencia pelo fato e ser mulher , fora acusada de ser homessual , como se isto implicasse em algum crime, entre outros fatos lamentáveis. E entre os fatos lamentáveis está a chuva de estultices e observações preconceituosas feitas pelos grupos por ela derrotados, contra seus eleitores , neste caso, os nordestinos .

Mas, estas coisas não surgiram do nada, uma vez que, do nada; nada vem. A pergunta é, de onde surgiu esta onda xenofóbica e de preconceito?

Alguns atribuirão a emergencia de tal situação ao candidato José Serra e sua equipe. De fato, a estratégia mal fadada da sua campanha, baseada em uma cultura ódio, acabou por revelar aquilo que o Brasil sempre tentou disfarçar.

E que o Brasil tentou disfarçar?

Que não somos de fato uma Democracia Racial, que existe uma sociedade socialmente dividida entre ricos e pobres, embora, estas coisas estejam de certo modo disfarçado por baixo de um verniz de civilidade cristã , que de fato não existe. Vivemos na hipocrisia. E Deus nada tem a haver com isso.

Por outro, lado Serra não pode ser culpado ou colocado como único responsável por suscitar este ódio contra os nordestinos, entre outros que pegaram ou pegarão carona nesta onda, mas, ele soube observar , expor e aproveitar-se daquela matéria-prima que compõe e anima todo regime autoritário e de horror que já passou pela face da Terra , que são a ignorância, o medo e ódio baseado no preconceito contra o diferente, ainda que não o temnha feito consciêntemente, o fez, não no seu discurso direto mas, no intertexto de seus discursos e mesmo na guerra disparada na internet.

Desta forma assim como Michelangelo ,quando perguntado sobre como conseguira esculpir a “Pietà” a partir de um bloco de mármore, respondeu da seguinte forma: “Ela já estava lá; eu só tirei o excesso”, no caso da campanha eleitoral de Serra se poderia dizer o mesmo.

Portanto, ao procurar o culpado por tamanha ignorância e preconceito , talvés o espelho ofereça uma boa resposta. Somos de uma forma ou de outra culpados por esta situação, quando seguimos indiferentes e nos calamos frente ao festival de agreções que se apresentou durante a campanha eleitoral e sobretudo naquela que cresce na trivialidade do dia-a-fia , contra a mulher surrada no ponto de ônibus, no mendigo queimado durante a noite, na criança violéntada , no homossexual assassinado, e em toda meríade de máles que persiste em se fazer presente , sem-vergonha , sem medo e sobretudo, sem punição! Afinal, justiça se tornou apenas um lugar comum, mais uma palavra, entre tantas sem sentido e sem nexo como igualdade, amor e tolerância.

Já que como definiu Orwell , e no caso do Brasil é uma sentença mais que verdadeira, existem alguns mais iguais do que outros, com a palavra o povo brasileiro.

2 Respostas to “Sobre Xenofobia”

  1. Mirilaine novembro 14, 2010 às 10:32 pm #

    É realmente, o Brasil “mostrou sua cara” nas eleições, sempre em situações limite, onde cai o verniz e surge a verdadeira personalidade … invejosa dos objetos do outro, se preocupando com o outro ao invés de se preocupar em conquistar o que deseja para si e não o que é dos outros .

    • professorhb novembro 14, 2010 às 10:47 pm #

      Isto entre tantas outras coisas é apenas uma parte do problema, mas, mesmo assim não deixa de ser um ponto crucial.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s